1. Sa Bir       2. VINUSHKA       3. RED SOIL      4. Doukoku to Sarinu      5. Toguro      6. GLASS SKIN
7. STUCK MAN      8. Reiketsu Nariseba     9. Ware, Yami Tote…     10. Bugaboo
     11. Gaika, Chinmoku ga Nemuru Koro     12. DOZING GREEN     13. Inconvenient Ideal
 
 
 
 * Traduções pela equipe do DIR EN GREY Brazilian Street Team | Traduções feitas a partir das letras oficiais *

 

 

VINUSHKA

Eu troco pensamentos com as nuvens
Eu prendo minha respiração
Ahh, eu apenas quero continuar esquecendo
Escorregue para dentro do formigueiro os seus desejos
Venha agora, tudo o que você tem que fazer é renascer outra vez

Deixe o amanhã dormir e a paz retornará para você
Liberte-se e vá com suas emoções afiadas
Mesmo o fluxo distorcido é a prova de que você está vivo
Eu convido o amanhã choroso e condenscendente

O Dogra Magra* inculcado
A dor da marca e a primeira e única personalidade
E aqueles olhos coloridos e decorados. Eu não os quero mais.
A hipocrisia virá e os leverá embora?
O solitário palco vermelho à noite
Eu dedico o seguinte ao spirante a ator principal
É aqui que está a verdade

Uma pequena parte do meu coração que não pode ser traído diz “Eu ainda quero estar aqui”
Quem não podemos perdoar?
Eu os deixo ouvir a minha voz fria
E eu juro

Viverei com o meu trabalho
Eu grito com esse corpo de carne que separa o Céu e o Inferno
Eu gravo os pecados
Qual será a prova da minha existência se ela desaparecer com o vento?

“Eu encarei a lua intensamente brilhante tempo suficiente para ficar entediado
nem mesmo posso me tornar um lobisomen
Apenas o suficiente para ficar louco por causa da escuridão
Eu quero sugar o pescoço
O vazio dos restos
Não te deixarei dormir
Na idade em que você apenas quer atenção… hoje à noite talvez eu enlouqueça por você.”

Todos querem esticar as mãos e agarrar a felicidade
Mas eles acabam apenas se tornando o monstro que existe fundo na escuridão
O fim já ganhou vida
Tomará forma do zero e rastejará de volta para dentro do útero e apodrecerá
Cada vez que isso acontece sua face desmorona

Ninguém quer falar sobre a verdade que fere o ouvido
As mentes suprimidas

Compense os pecados e deixe a vida partir

O vazio da antítese
Torna-se a terra sufocada que chora
Enterre os ossos imersos em tese na terra comum
Seja sobrecarregado pela depressão
O audacioso tsunami me leva embora e eu sorrio com lágrimas amargas
Não conseguia compreender o valor das coisas
Os enforcados nas treze escadas
Vendo as pessoas tornarem-se amigáveis enquanto aplaudem
Isso se mistura com pensamentos covardes e machuca os outros
Ver você desse jeito é muito triste

Respingos de sangue
Esmagando instintos básicos
Fale sobre a morte

Viverei com o meu trabalho
Eu grito com esse corpo de carne que separa o Céu e o Inferno
Eu gravo os pecados
Qual será a prova da minha existência se ela desaparecer com o vento?

Ninguém quer falar sobre a verdade que fere o ouvido
As mentes suprimidas

Compense os pecados e deixe a vida partir

É um pecado para mim viver porque sou mau?

 

Notas da tradução:
* Dogra Magra: é um romance de Kyusaku Yumeno. Na história o protagonista acorda em um hospital com amnésia, descobre que é o objeto de estudo de um experimento feito por um psiquiatra recém falecido e os médicos estão trabalhando para lhe devolver a memória. Não fica claro se ele era um psicopata ou a vítima de um estranho experimento psicológico, mas as pessoas dizem que ele assassinou a prórpria mãe e a esposa e que ele herdou sua tendências psicóticas de um antepassado insano.


 

RED SOIL

Pressionando o megafone contra o ouvido aberto do apóstolo
Escuridão e onanistas estão presentes
Eu agora pressiono uma arma contra as têmporas de todos os espectadores
E toda vez meu rosto deixa escapar um sorriso
Poupando

É prostituição para as crianças que ouvem pela direita e deixam sair pela esquerda
Gêmeos e as sete cores do arco-íris
Não pode ser poupada/evitada, a tristeza
Eu questiono todos, por que ah por que?

A decepção do doce entrelaçamento
É a mesma coisa em qualquer lugar
O fluxo de sangue se mistura
Eu durmo profundamente
Eu gravo meus pecados em meu coração
E eu vivo na morte
As flores de cerejeira em meu pulso
Sua amada geração no cadáver do corvo
Para as pessoas que estão pagando o preço
São lágrimas vazias?
Queime a misericórdia com o Hino Nacional e compreenda a morte pelos que morrem
A justiça fode no pasto de ovelhas
Qual cor de pele se une por trás do conforto e o devora?
A terra suga a vida e torna-se solo vermelho
Um pedaço de papel e círculos de poder ao redor no ar
A ferida de bala para a testa de uma vaca
Está escancarada
Os genitais da felicidade
O todo-poderoso deus castrado

 


 

 Doukoku to Sarinu

Sem cor e transparente
Sem limites e descuidado
Como você vai se encaixar?
Forçando M
Compensação para aqueles que você não pode ver

Chora Em Vão
Enlouquece
A rebelião vaga
Chora Em Vão
Maneiras De Destruir Sua Ambição
Renascido

Anônimo
A voz que é vaga, tão doce e pegajosa
Cada noite aumenta no meu cérebro e chega ao fim
enchendo minha boca…
Estou Atrás De Você
Sei que ele deseja abrir a boca, mas
O que você quer?
Sua existência simplesmente
Eu não quero conhecer

Água flui para seu rosto desonesto
A verdade flutua
Apodrece
Sem você

Chora Em Vão
Enlouquece
A rebelião vaga
Chora Em Vão
Maneiras De Destruir Sua Ambição
Renascido
Sem Me Salvar
Sem ter ninguém para por a culpa
Começo a enlouquecer
O céu azul vazio + a marca de mordida
Onde está…
Você vive?

De quem é a culpa de você não mais poder confiar?
O Sol conversa habilmente, apresentando a escolha que parece boa quando vista do outro lado mas são apenas caminhos sem saída
O corpo absorve completamente
Mesmo a misericórdia mancha a pele tácita e mantém segredo das dores que transbordam
Apodrece
Sem você

Chora Em Vão
Enlouquece
A rebelião vaga
Chora Em Vão
Maneiras De Destruir Sua Ambição
Renascido
E daí se for o destino, destrua-o

  


 

Toguro

“Mate a língua”
“O Silêncio do Branco”
“Infla-se como as palavras”
“A avidez rasteja por perto”

A tentação que desmorona tem um rosto sorridente
A noite confusa irrompe
“Cubra cicatrizes com cicatrizes”
“Escuridão, Dúvida e Natureza Humana”
“Cobiçando um ao outro feito loucos”

Calando aqueles que conseguem se adaptar

Ela colhe sorrindo as pétalas da borboleta
Superioridade
Se dissipa pacificamente
Estar destruído e então recomeçar
Feche seus olhos e a si próprio para a realidade
O homem perdedor vaga para sempre
Não serei ouvido

Calando aqueles que conseguem se adaptar

A demanda e a busca pela camuflagem, a destruição da ordem nas linhas
Realidade, entretenimento e o vazio rompem a ferida
Você traça a resposta com seu dedo

Dançando Vagarosamente Para Sempre Doente


  

GLASS SKIN

Chega e devagar mancha meu coração
Tem sido difícil, completamente sozinho e firmemente fechado
Os pecados estão espalhados por toda parte
Estão a minha volta
Não posso vê-los

Em vão vêm desmoronando
Nessa pequena e esquecida cidadezinha
A verdade é que viramos os olhos das mentiras que existem bem no fundo

Eu abro minhas asas feitas de vidro
Em direção ao futuro que se derrete com o vento
Então por favor, apenas não vá
Não vá
Estar perto de você…

Eu apoio minha mão sobre a porta pesada fechada e rezo
O futuro solitário que me espera é uma razão para apenas viver
Chega devagar e mancha meu coração
Tem sido difícil, completamente sozinho e firmemente fechado
Os pecados estão espalhados por toda parte
Estão a minha volta
Não posso vê-los

Em vão vêm desmoronando
Nessa pequena e esquecida cidadezinha
A verdade é que viramos os olhos das mentiras que existem bem no fundo

Eu abro minhas asas feitas de vidro
Em direção ao futuro que se derrete com o vento
Então por favor, apenas não vá
Não vá
Quero estar perto de você
Agora estou em esquecendo até mesmo das cores das suas lágrimas e de seu amor
Então apenas não vá
Por favor, não vá
Acreditando fielmente no que está por vir

Eu sangro como forma de compensar tudo à você
Quanto vale o sangue?
Felicidade e tristeza são muito parecidas

A mão da criança nascida no amanhã será apenas pura e nada mais
Mal posso vê-la com tantas lágrimas

Eu abro minhas asas feitas de vidro
Em direção ao futuro que se derrete com o vento
Então por favor, apenas não vá
Não vá
Quero estar perto de você
Agora estou em esquecendo até mesmo das cores das suas lágrimas e de seu amor
Então apenas não vá
Por favor, não vá
Acreditando fielmente no que está por vir

Os sinos da realidade soam sonoramente bem lá do fundo
E desaparecem junto com o vento.

 

 


 

STUCK MAN

A cidade imobilizada/encurralada
Olhos cheios de lágrimas
Eu me desloco pelo beco atrás da cidade prazerosa/divertida segurando a mão da criança e eu vendo
A carne do peixe mantida dentro da boca do peixe e o carnaval amargo

Carnaval manchado de sangue
Sem nem mesmo perceber, o bem e o mal são tragados para dentro dos nossos pulmões
É a sátira dos Humanistas
Heil Jap*
As almas jovens são corroídas e voltam a ser vermes tépidos

Dia após dia nos acostumamos com isso e apenas engolimos como se fosse remédio
Exatamente como aquelas coisas que são geneticamente modificadas
Deus Falso acorde e vá para o inferno
Quem arremessa lápides contra sua ideologia?
A rosa é cortada novamente, os pescoços das pessoas orgulhosas são empilhados até o alto

Carnaval manchado de sangue
Sem nem mesmo perceber, o bem e o mal são tragados para dentro dos nossos pulmões
É a sátira dos Humanistas
Heil Jap
As almas jovens são corroídas e voltam a ser vermes tépidos

Cale-se
Conversa fiada
Cale-se
Calado seu puto

Todas as coisas são tocadas na cabeça
Fuga
A dor em não poder cortar fora meio quilo de carne
A felicidade que dura na memória por apenas dois dias
ninguém acredita no ditado, a terceira vez é pra valer
Mas esse é o fato
Faça o que eu digo
Se mate
Vocês todos são narcisistas loucos
O prazer do estupro grupal
Foda-se o sistema

 

Notas da tradução:
* Heil: Viva; Salve. Comumente usado como saudação nazista.


 

Reiketsu Nariseba

É você quem está perdido agora

Seu merda superficial com esse olhar triste na cara
Por que você não arranja asas de autopiedade

Perde a noção de onde você está, todo embonecado como uma estrela…? Você me faz rir
Dinheiro? Fama? Sucesso?

CHUPE
DESTRUA

Mesmo quando você enche a boca para falar você faz isso para se proteger

CHUPE


 

Ware, Yami Tote…

Quem sou eu?
Que para e fica imóvel enquanto eu me confio ao vento, entre os tempos que são limitados?
Onde é este lugar?
Este lugar que chega esmagando tudo entre aquelas palavras comuns e familiares?
Eu mancho minhas intenções com a escuridão
É fácil parar de respirar… mas eu apenas quero sentir você um pouco mais
Você me permitirá viver?
Numa manhã brilhante, eu abri meus olhos e lágrimas rolaram e me senti como se percebesse o significado pela primeira vez
Não sei porque, mas sinto tristeza quando você está perto de mim
Por que não podemos nos tornar um?
Eu estendo minhas mãos para aquelas palavras que são tão frágeis, ainda que apenas uma
Por favor dê ao meu coração algo, qualquer coisa como uma lâmina afiada o suficiente para apunhalar você
O vazio da compensação
Amadurece
Em apenas trevas…
O grito do pôr do sol
Numa manhã brilhante, eu abri meus olhos e lágrimas rolaram e me senti como se percebesse o significado pela primeira vez
Não sei porque, mas sinto tristeza quando você está perto de mim
Por que não podemos nos tornar um?
Eu estendo minhas mãos para aquelas palavras que são tão frágeis, ainda que apenas uma
Por favor dê ao meu coração algo, qualquer coisa como uma lâmina afiada o suficiente para apunhalar você
Se você simplesmente apagar sua memória, você acha que pode mudar?
Se é esquecido e mudado, e você não é mais o mesmo
O valor correto de todas as coisas começará a parecer cruel
Ao menos deixe-me mudar o que possuo agora em uma voz
Os termos e condições do amanhã
Os gritos são muito doces, o amor muda sua forma
Esquecendo a dor e me esquecendo
Mas agora encaro dia após dia com a prova que flui…
O valor correto de todas as coisas começará a parecer cruel
Ao menos deixe-me mudar o que possuo agora em uma voz
Os termos e condições do amanhã

Com a prova em nome dos vivos…


 

Bugaboo

Tentando descobrir como, ela o coloca na boca
O autoengano
É amargo e feio na confusão? Ou é doce?
Não se esqueça dos olhos que você vê agora
O destino

Perdido
A justiça acabou de morrer
Ela matou
Racionalidade e arrogância
Estou destruído

Você não consegue falar a verdade sem chorar?
Eu te desafio a sair e desembuchar
Minha amada com três protuberâncias no ventre

[Amor] é o que supostamente todos deveriam querer
Ela se rebaixa, e às vezes se fode

Eu fico VICIADO
Estou MORTO
O CHEIRO, CHEIRA a sacarina

Se espalha dentro da mandala ardente
A fumaça negra sobe azul
Você quer voltar? Ou você não pode?

“Se o amor é algo a que você se acostuma, então afinal por que nascer?”

A catástrofe

Por quem nós matamos?
Fui novamente morto hoje, pela sua essência deturpada
Eu beijo a mosca da destruição

A voz risonha não termina aqui ou para sempre
Eu esfolo o olho prestes a ser quebrado…


 

Gaika, Chinmoku ga Nemuru Koro

Esses olhos se abriram e compreenderam tudo
Nossa batalha O que você sente quanto a este punho que se agita em raiva?
Escale aquela parede
O bem e o mal tem estado enraizados em nós
Destruição Desespero
Todas as coisas visíveis são em vão

Sem volta
Uma dádiva ou uma desgraça
Toda noite a morte abre sua boca, enrola sua língua e vem atrás de mim
Sem volta

Saude o macaco
Saude o macaco
O desejo de se combinar com deus
Sexo com um Humanóide

Indesejado? Isso não é amor?
PARA SEMPRE ABANDONADO
Se não há dúvidas nem nada a perder, para a liberdade de ter nascido…

Nossa batalha O que você sente quanto a este punho que se agita em raiva?
Escale aquela parede

Justiça para os que morrem
Quem é aquele que não pode voltar atrás?
Estou cansado de tantas desculpas
Você percebe apenas quando a carne se empilha no carrinho e quando todos os lados ficam bloqueados
Os corredores cerimoniais têm gosto de mel doce, certo?
Observando através da janela de vidro, você nunca desvia o olhar
Auschwitz* enlouquece em silêncio
Eu lhe darei deus

Saúde o macaco
Saúde o macaco
O desejo de se combinar com deus
Sexo com um Humanoide

Indesejado? Isso não é amor?
Se não há um único momento para se estar incerto, não tendo dúvidas nem nada a perder, para a liberdade de ter nascido
Então a realidade que teremos que encarar fará com que tudo, até mesmo os sonhos tornem-se ferrugem

Solução e o amanhã, isso é besteira
Demônio Em Uma Missa Da Meia-Noite

Notas da tradução:
*Auschwitz-Birkenau: É o nome de uma rede de campos de concentração localizados no sul da Polônia operados pelo Terceiro Reich nas áreas polonesas anexadas pela Alemanha Nazista, maior símbolo do Holocausto perpetrado pelo nazismo durante a Segunda Guerra Mundial. A partir de 1940, o governo de Adolf Hitler construiu vários campos de concentração e um campo de extermínio nesta área.


 

DOZING GREEN

Fascinado por aqueles olhos, aqueles olhos comidos por insetos
Minha respiração apenas para Eu acalmo meu coração e ele derrama uma lágrima
A luz do sol brilhante e revigorante

Meu coração dilacerado, deixe-o dançar agora que questiono o vazio
As vozes brancas Vazando do meu fôlego No Sol

A exposição obscena da ferida
Torna-se nada assim como o vento da doutrina
Você agora derrete
Seu coração derrete

Na manha sombria, eu ouço você sussurrar adeus

Meu coração dilacerado, deixe-o dançar agora que questiono o vazio
Agora mesmo eu quero ficar completamente só

Na estação da primavera, olhos chorosos derramam lágrimas
Seu corpo sem pescoço rastejante não pode te salvar agora

Me Ame

Perca a Esperança

 


 

Inconvenient Ideal

A moral engolida pelas ondas, balança dentro da cesta e adormece
A chuva cai sobre essa terra e não para
Continua atingindo o chão

Mesmo o amor que está trancado dentro da concha, é engolido pela besta sem coração
O que os induz a isso?
Eu coloco minha mão em meu coração
O primeiro choro da criança desaparece com o dia de ontem

Desaparece sem mesmo ser capaz de deixar escapar uma palavra
Foi liberdade o que ganhamos?
Sentindo a temperatura do meu sonho e eu rezo
Meus olhos bem fechados

Desaparece sem mesmo ser capaz de deixar escapar uma palavra
Foi liberdade o que ganhamos?
Sentindo a temperatura do meu sonho e eu rezo
Tudo se deforma
Fundo dentro da escuridão vermelha
A vida que mantenho digna e orgulhosamente